Corpos revestidos de pele
Imaginar uma forma de linguagem é imaginar uma forma de vida e estas colunas são corpos revestidos de pele. Através da interpretação do epidérmico, como sinónimo de superficial, a pele torna-se apenas uma aparência de um corpo sem vida interior.
A dicotomia mente/corpo faz parte da sociedade contemporânea, onde há identidades socialmente construídas e constantes evoluções do eu exterior.
Aparências privadas de vida, estas, são uma alegre alegoria à condição humana.


150cm x 21cm x 15cm
163cm x 21cm x 15cm
168cm x 21cm x 15cm
técnica mista sobre madeira

up